Andrea Huguenin Botelho 005_Foto Fernand

BIO

Andréa Huguenin Botelho é maestra, pesquisadora, compositora e pianista teuto-brasileira, nascida no Rio de Janeiro, Brasil e radicada na Alemanha. Possui Mestrado em Piano e Regência Orquestral pela Georgia State University nos Estados Unidos, Pós-graduação em piano pela Staatliche Hochschule für Musik Karlsruhe na Alemanha, especialização em regência operística pelo Mariinsky Theater em São Petersburgo e graduação pela Universidade do Rio de Janeiro — Uni-Rio, no Brasil.

Atualmente trabalha como maestra em Berlim, Alemanha,  como diretora artística e regente do Brasil Ensemble Berlin e Ayabás, além de trabalhos independentes à frente de orquestras e trabalhos pedagógicos. Como pesquisadora, centra seu trabalho na temática Música e Gênero.

Auxilia na coordenação do Simpósio Internacional Mulheres Regentes, colabora com o Archiv Frauen und Musik em Frankfurt, faz parte do Grupo de trabalho das mulheres regentes ligadas à associação Internationaler Arbeitskreis Frau und Musik e.V., e do grupo de pesquisa Mandonas da Universidade Federal de Santa Catarina, coordenado pela professora Joana Maria Pedro. Apoiado pelo CNPQ, este projeto visa narrar a trajetória de mulheres que se tornaram lideranças em diferentes campos no Cone Sul. Desde dezembro faz parte do grupo de embaixadoras da Fundação Donne, Women in Music, fundado por Gabriella di Laccio. 

Reconhecida pelo magnetismo de sua interpretação no palco, ocupa um prestigioso lugar na música internacional. Dona de raro talento artístico e pedagógico, ela está à frente não apenas de performances e workshops de regência, mas, também, de um sem-número de iniciativas endereçadas à música brasileira. Sua produção também é vista fora dos palcos, na intensa pesquisa e no empenho do trabalho na área do feminismo musicológico, para estabelecer o espaço de mulheres compositoras na ópera e na equidade de direitos das mulheres na regência.​

Durante a formação musical, esteve sob a orientação de mestres como Heitor Alimonda, Homero de Magalhães, Luiz Carlos Moura Castro e Luiz Senise. Na área de regência orquestral e aperfeiçoamento, músicos de destaque e professores respeitados em todo o mundo, como, Michael Palmer, nos Estados Unidos; Leonid Korchmar, na Rússia e Fanny Solter e Ulrike Meyer, na Alemanha, foram seus professores. 

Além do intenso trabalho na música como professora, em concertos e na pesquisa, a inovação de projetos educacionais, que promovam a interculturalidade entre o Brasil e Alemanha é elemento constante do seu trabalho. Bom exemplo foi a criação do primeiro coral infantil bilíngue Curumins in Berlin, em 2016. O Programa Brasilianische Musik in der City West — com lugar na Escola estadual de Música de Charlottenburg-Wilmersdorf, existe com larga repercussão em toda a Alemanha. Desde sua concepção, em 2016, constitui um ambiente para a divulgação da música brasileira, pela primeira vez em uma escola pública de música deste país. As atividades de Andréa Huguenin Botelho impulsionam projetos artísticos e educacionais, e inspiram trabalhos envoltos na temática de gênero na esfera musical.  Na Alemanha, atualmente é referência em assuntos multiculturais e representante de assuntos ligados à mulher na música, especialmente da América Latina.